APDESPbr - O CANAL DA PRÓTESE ODONTOLÓGICA BRASILEIRA

Como o construtivismo é usado por protéticos na escultura dental

O que você, técnico em prótese dentária, considera mais importante no momento de iniciar uma escultura dental? Seja qual for sua resposta, uma coisa é certa: é preciso compreender a anatomia de cada dente para obter um resultado que entregue naturalidade e funcionalidade. Nesta matéria, vamos entender como o construtivismo pode facilitar no aprendizado sobre a anatomia e auxiliar em suas próximas esculturas dentais.

O conceito de construtivismo na educação foi desenvolvido no início da década de 1920 pelo psicólogo e epistemólogo suíço Jean Piaget, que defendia a necessidade de construir o conhecimento e que, para isso, seria preciso criar métodos que estimulassem essa construção. 

Aplicando esta ideia à odontologia, o técnico em prótese, cirurgião-dentista e mestre em prótese dentária, Hilton Riquieri, trouxe essa didática em seu livro que é um projeto de sucesso junto à editora Napoleão, em coleção da APDESPBR, Anatomia e escultura dental.

 

“É preciso desenvolver competências por meio da associação do que queremos aprender com objetos/figuras já memorizadas, e assim, construir o conhecimento a partir da interação com o ambiente onde, em constante treinamento, formam-se a memória de longo prazo e as aptidões inatas”

Neste contexto, o livro aborda o passo a passo do desenho e da escultura da anatomia dental e apresenta morfologias e cuidados de forma didática. Caso você tenha interesse em conhecer, ele está disponível na Editora Napoleão. Clique aqui para acessar o site.

Aprendendo anatomia e escultura dental a partir do construtivismo

Levando em consideração que a habilidade de escultura é algo que pode ser construído a partir da memorização de figuras e objetos, é possível utilizar analogias para compreender melhor a anatomia de cada dente. É exatamente este conceito que Riquieri utiliza em seu livro, facilitando a compreensão de parâmetros estéticos e funcionais de dentes posteriores e anteriores. Algumas dessas analogias veremos a seguir!

 

Analogias em dentes posteriores 

A primeira analogia está presente em todas as cristas marginais mesiais e distais de todos os dentes, além da distal do segundo pré superior. É o que o autor chama de “perfil feijão” no livro. Observando as características da anatomia do dente, é possível perceber uma semelhança à de um feijão. Veja abaixo a área demarcada em amarelo:

Anatomia e escultura dental em dentes posteriores
“Perfil feijão” demarcado em amarelo

Na oclusal dos pré-molares superiores, Riquieri observa que os sulcos secundários mesial e distal lembram a letra “S” e um “S” invertido. Do “S” distal parte um outro sulco secundário menor, formando um desenho que remete à uma taça de vinho, conforme abaixo:

Anatomia e escultura dental no pré-molar superior
Analogia para entender anatomia do pré-molar superior

Já no segundo pré, os sulcos secundários começam no sulco mésio-distal e sobem fazendo uma curva em direção à ponta da cúspide vestibular. Por serem próximos um do outro, parecem chifres mais fechados, confira:

Anatomia e escultura dental no segundo pré
Analogia utilizada no segundo pré

Outras analogias muito utilizadas por profissionais para a oclusal dos molares superiores é a famosa estrela da Mercedes e a gaivota. Ainda nesses dentes, é possível imaginar e recriar o formato de uma gota d’água e de uma moça com as mãos na cintura para obter a oclusão perfeita. Entenda como essas analogias se encaixam:

Analogias utilizadas para entender a anatomia dental
Diversas analogias utilizadas em um dente

Estas são apenas algumas das analogias que podem ser feitas para auxiliar no processo de escultura dental, mas existem outras que você pode conferir no livro do tpd Hilton Riquieri. Agora que entendemos como funciona a ideia do construtivismo com as analogias em dentes posteriores, vamos analisar o que pode ser observado nos dentes anteriores.

Conceitos de anatomia dos dentes anteriores

Apesar de não haver analogias como as dos dentes posteriores para a escultura de dentes anteriores, existem algumas características fundamentais nessa construção. Uma delas é a qualidade da luz que é refletida ou defletida, que pode afetar a percepção exata e criar fenômenos de ilusão.

“As diferenças no valor da cor afetam a percepção de tamanho. Quanto mais luminoso for o dente, maior ele parecerá, sendo também verdadeiro o contrário.” (Hilton Riquieri no Livro Anatomia e escultura dental)

Sendo assim, é possível afirmar que a percepção de altura e largura é o resultado da relação entre a área de reflexão e deflexão de luz, que também influencia na ilusão de alongamento, encurtamento, alargamento e estreitamento.

Então, no momento de esculpir e criar as macro e micro texturizações nos dentes anteriores, é preciso levar em conta as linhas de brilho. No livro, Riquieri apresenta o passo a passo de como isso pode ser feito em cada dente. 

Veja mais sobre linhas de brilho clicando aqui!

A chave para dentes naturais e funcionais com a escultura dental

Agora que entendemos como o construtivismo pode auxiliar na compreensão da anatomia e escultura de dentes, qual a chave para realizar trabalhos satisfatórios que entreguem naturalidade e funcionalidade? O conhecimento!

“O conhecimento acumulado nos leva a vencer obstáculos. A superação das dificuldades abre novos horizontes e eleva nossos limites pessoais.” (Livro Anatomia e escultura dental)

Tendo esta ideia em mente, compreendemos que a arte de esculpir é construída com o conhecimento. Para o CD e TPD Hilton Riquieri, a escultura é uma habilidade inata. Ou seja, os profissionais não nascem com ela. Portanto, ele acredita que o resultado final depende não só da habilidade manual, mas principalmente da percepção e do treinamento psicomotor. 

Sendo assim, compreender a anatomia e realizar trabalhos cada vez melhores está nas mãos de cada um. Analogias e ensinamentos dinâmicos podem facilitar a aprendizagem, mas o poder de evoluir está naqueles que buscam o conhecimento constante.

Caso tenha interesse em aprender pessoalmente com o professor Hilton Riquieri, o curso Fundamentos de Morfologia Dentária está com inscrições abertas e será realizado em nossa sede, na cidade de São Paulo. Acesse a programação aqui.

Cresça com a APDESPBR!

Um dos nossos objetivos é auxiliar na sua busca por conhecimento, portanto, estamos constantemente criando conteúdos incríveis no Canal da Prótese e nas redes sociais para quem nos acompanha. O conteúdo deste livro é um deles, ele é um grande sucesso da Coleção APDESPBR, com edição da Napoleão Quintessence, que você pode acessar aqui. Esteja com a gente nos perfis (@apdespbr e /apdespbr) e no Telegram e faça parte dessa comunidade digital que estamos construindo juntos. Em breve, traremos novidades que vão fortalecer essa nossa corrente! 😉


 

Redação Canal da Prótrese

Redação Canal da Prótrese

Deixar um comentário

Acompanhe nas redes