APDESPbr - O CANAL DA PRÓTESE ODONTOLÓGICA BRASILEIRA

Confecção artesanal na prótese dentária atende à exigência dos pacientes

Léo Bocabella, conhecido pela característica do seu trabalho personalizado na prótese dentária, mais artesanal, com a cerâmica dental estratificada, conta neste vídeo sua visão sobre este mercado e o bom senso no planejamento de técnicos em prótese dentária e laboratórios de prótese na hora de escolher o método de confecção, que deve atender às exigências dos pacientes.

[Assista ao vídeo abaixo. Essa é a segunda parte do vídeo de Léo Bocabella para a série ‘Sua história, nosso valor’ – para assistir ao primeiro vídeo, clique aqui!]

Antes, Léo fala sobre o momento em que se encantou com a cerâmica dental e ficou apaixonado “pelo tal do dente”, com uma fixação mental em copiar sua anatomia e produzir algo que fosse o mais semelhante possível que era fora do comum.

 

Talvez, esteja aí a grande questão do porquê é tão apaixonante, porque é tão motivante. Porque é muito difícil de se atingir o que é da natureza, o que é feito por Deus.

Essa se tornou a sua busca, confeccionar próteses mais realistas, que se aproximassem cada vez mais do dente natural. Passou a fazer cursos pelo Brasil e no exterior para atingir a qualidade desejada em seu trabalho protético.

Eu posso dizer para vocês que, caramba, era aquele cara que às vezes ia no sábado no laboratório, ao invés de ir passear com os amigos, eu ficava tentando fazer um dentinho de treinamento, loucura, né, da nossa cabeça. Para muitos isso é “Meu, você é louco”, mas era realmente o meu objetivo.

Com essa paixão no olhar e no entusiasmo com que relata essa história é que Bocabella divide com a gente nesta entrevista, sua trajetória na prótese odontológica brasileira, onde conquistou o reconhecimento nacional e internacional desse esforço e desse trabalho realizado com tamanho amor a essa atividade.

Ele mesmo contou que se assustou com a rápida ascensão na carreira, “meteórica” como chamou, mas relembra sua dedicação incomum para chegar neste nível de qualidade com a cerâmica dental e reforça que a sensação do reconhecimento aconteceu em velocidade inesperada, mas a oportunidade surgiu depois de muito preparo e treinamento. Por isso fez questão de frisar:

Eu fui melhorando o meu trabalho através de muito esforço, isso é importante ressaltar: nada vem por acaso, as coisas vêm através de muito esforço.

Sobre o trabalho personalizado, com a confecção artesanal das peças protéticas, Léo garante que esse mercado existe, a atende a certas exigências relatadas nos consultórios odontológicos. “Tem esse mercado hoje?! Garanto para vocês que sim, porque se não eu não estaria trabalhando.

E levanta questões importantes a respeito da tecnologia digital e seu posicionamento nesse contexto de digitalização do setor. Embora as pessoas gostem de embate e levantem sempre ideias contrárias na ânsia de defenderem uma escolha ou outra, o tpd garante que qualquer das escolhas, analógico ou digital, terão vantagens e desvantagens. E que o direcionamento do seu trabalho vai depender do resultado que se pretende alcançar.

Existem modelos de negócios que seguem uma padronização, tanto pelo trabalho personalizado, quanto para o trabalho com a tecnologia digital na odontologia. E há mercado para ambos os posicionamentos. Além disso, é possível aderir à tecnologia em parte do processo, ou em apenas alguns trabalhos, conforme a característica exigida na peça confeccionada.

Isso tudo depende de conhecimento! É importante estudar e conhecer as possibilidades para reconhecer as vantagens e desvantagens nas escolhas que serão feitas em cada caso.

Eu não estou aqui para dizer qual é o certo e qual é o errado, quem sou eu para julgar?! Eu acho que certo e errado, na questão estética, ou melhor, bonito e feio, é muito questionável, isso varia muito de pessoa para pessoa, então, isso eu não questiono. Eu questiono, sim, que dependendo da técnica que você usar, você consegue melhor resultado em algum sentido e a outra técnica, do digital, você consegue um outro melhor resultado. Mas sempre é pensando nisso: tudo vai ter vantagem e desvantagem.

Espero de verdade que você já tenha assistido ao vídeo, ou faça isso depois de chegar até essa parte na leitura. Porque é sempre mais interessante absorver a mensagem que vem mais completa com expressões e tom de voz, garantindo um entendimento maior do que foi exposto e, claro, se permitindo envolver com a emoção do entrevistado. Afinal, histórias boas e bem contadas inspiram muito a gente, não é?! Garanto que é este o caso.

Aperte o play! E não perca o próximo vídeo com Léo Bocabella, o ceramista que atende a um mercado personalizado, mas que tem o digital como aliado, com bom senso e fidelidade ao posicionamento escolhido. Siga o técnico nas redes sociais (@leobocabella) e acompanhe mais de perto os resultados desse trabalho. Como ele mesmo disse: conhecimento é tudo. Mantenha-se atualizado(a)! 😉

Maria Fernanda Marques

Gestora de comunicação e marketing na Cairós Humaniza. Especialista em branding, comunicação humanizada e planejamento estratégico. Acima de tudo, apaixonada por gente! E motivada pelas relações humanas e as boas histórias que delas resultam, sobre pessoas e marcas.

Deixar um comentário