APDESPbr - O CANAL DA PRÓTESE ODONTOLÓGICA BRASILEIRA

Maquiagem dental: como obter controle total dos pigmentos e do glaze?

A sua peça protética maquiada já ficou verde? O seu glaze já foi parar todo na região cervical da prótese em confecção?  Esses são alguns dos casos que Ricardo Tanaka citou sobre sua própria experiência como cirurgião-dentista e técnico em prótese dentária e também sobre as queixas relatadas por seus alunos em sua experiência ministrando cursos sobre os temas maquiagem dental e cerâmica dental, pelo Brasil e pelo mundo.

Tanaka, que é um super adepto da maquiagem dental, já começa esta apresentação dizendo que hoje a pergunta que é feita há algum tempo ‘Por que maquiar?’, poderia ser invertida para ‘Por que estratificar?’. Ao mesmo passo, afirma amar a estratificação, mas relata que hoje ela é aplicada em seu laboratório de prótese somente em casos que realmente necessitam desta técnica.

Isso porque a maquiagem dental conta com materiais de alta tecnologia que vêm evoluindo bastante e ganhando grande atenção da indústria no aporte da qualidade necessária para sua escolha primária nos casos em que consegue atender. E isso está se tornando cada vez mais possível.

 

Desta forma se torna uma solução mais rentável aos laboratórios de prótese dentária que passam a entregar mais em menos tempo, ganhando em produtividade e eficiência. Como é o caso do TNK Odontologia, laboratório de prótese dentária integrado à clínica odontológica de Ricardo Tanaka. Mas é claro que isso tudo depende do conceito de cada laboratório ou protético (a) na definição de sua atuação e no gerenciamento de seu empreendimento.

Como obter controle total dos pigmentos e do glaze?

Bem, se você veio até aqui, é bem provável que também já seja adepto (a) da maquiagem dental, então, vamos ao assunto principal deste texto – as duas dicas imperdíveis para aplicação imediata em seus trabalhos em cerâmica dental.

  1. Como obter controle total dos pigmentos na aplicação das cores
  2. Como obter controle sobre a fixação do glaze na peça protética

Este conteúdo foi extraído da aula ao vivo ‘Maquiagem dental em casos desafiadores’ ministrada pelo cirurgião-dentista e técnico em prótese dentária Ricardo Tanaka na sede da APDESPBR. Aula que já faz parte do acervo digital da nova plataforma online da marca, a APDESPBR ONLINE. Se você ainda não é associado (a), saiba como se tornar um (a) e entre para o time!

Como obter controle total dos pigmentos na aplicação das cores em maquiagem dental?

Não cometa este erro tão comum ao aplicar os pigmentos!

Tanaka afirma que este erro é cometido por quase todo mundo, do México para baixo, em todos os países em que ministrou cursos e palestras. E, que, embora pareça óbvio, muitos ainda não se deram conta do motivo pelo qual sua maquiagem dental não apresenta o resultado esperado.

Conta que, às vezes, ouve pessoas dizendo que determinado material não é bom porque as peças ficam verdes. Em certa ocasião pediu para que o mostrasse a sua aplicação. O aluno, então, pegou a peça e, antes de começar a aplicar os pigmentos, a cobriu de glaze. Depois de deixar a peça bem úmida de glaze iniciou a aplicação da coloração. Começou com amarelo, depois aplicou azul, e ….

Opa, erro encontrado. E repetido por muitos. Você também faz assim? Observe se você não é uma dessas pessoas e melhore a sua técnica!

Ricardo alerta: Um dos pré-requisitos para executar uma boa maquiagem dental é o controle total dos pigmentos. Com a peça encharcada você não tem controle nenhum. Você vai começar a misturar as cores, e a sua peça vai acabar virando um godê. Eu prefiro aplicar com a peça seca, jateio, limpo e começo a maquiar direto. Mas, se você quiser, pode umedecer.

Mas, então, qual é a quantidade ideal de líquido aplicado? – A quantidade ideal é aquela em que você tenha controle total do posicionamento do pigmento aplicado.

Solução: peça seca ou levemente umedecida

No caso acima, veja, é bastante óbvio que amarelo com azul resulta na cor verde, e foi o que aconteceu. Mas o tpd não reparou que ao aplicar a coloração amarela e a azul em pontos próximos em sua peça protética, ao correr do líquido pela região, a mistura resultaria na cor verde, a qual ele não queria.

Portanto, resolvemos assim: aplique a maquiagem dental com a peça seca ou apenas levemente umedecida. De forma que você tenha controle total sobre os pigmentos aplicados, pois não corre o risco de que escorram e acabem se unindo.

As peças que serão maquiadas devem estar, sempre, previamente jateadas. Eu uso óxido de alumínio, por exemplo, para criar uma superfície com microporosidades que vão ajudar a dispor os pigmentos de uma maneira que tenhamos maior controle.

Como obter controle sobre a fixação do glaze em sua peça protética

Não precisa mais correr pra levar pro forno!

Sobre a finalização da maquiagem dental com o glaze Tanaka demonstrou as dificuldades encontradas na fixação da massa do glaze sem que antes ela escorra pela peça protética maquiada.

Sobre esse processo citou que ao trabalhar com apenas uma peça ainda é possível obter este controle, levando mais rapidamente a peça protética ao forno. Mas, normalmente, os protéticos costumam deixar as peças na bandeja, conforme finalizam a maquiagem, para levar todas juntas ao forno quando da finalização do glaze. E neste momento é possível que a massa do glaze escorra e vá, por exemplo, parar toda na cervical, como já lhe aconteceu.

“O que acontecia no meu dia a dia? As primeiras peças em que eu passei o glaze, quando saia do forno, pela própria ação da gravidade, ele estava todo na cervical, ou na incisal, dependendo da posição que eu colocava no forno. Isso depende da consistência da massa do glaze, mas também do tempo entre sua aplicação e a secagem.” 

Utilize um soprador para fixar o glaze aplicado

Na ânsia de encontrar uma solução para obter controle sobre o glaze aplicado Ricardo tentou alguns equipamentos até chegar ao que utiliza hoje. Utilizando o soprador a peça foi seca em apenas 4 segundos e a massa do glaze aplicada já estava fixada no devido lugar podendo ser levada ao forno no momento mais conveniente.

Primeiro eu tentei o secador de cabelo, que funcionou, mas, demorava muito. Porque eu tinha que secar um por um, e ainda a temperatura não é alta o suficiente. Além disso, a própria intensidade da saída de ar do secador acabava empurrando o glaze e deslocando sua massa, ou os pigmentos, até.

Hoje eu uso um dispositivo que não é odontológico, é um soprador. Ele tem controle de temperatura e de intensidade. Então, eu consigo usar uma temperatura mais alta (295°) e consigo diminuir a intensidade do sopro (uso intensidade 4). Ele seca em alguns segundos e nada ali vai se mover, então, eu posso demorar o tempo que for para colocar as peças no forno. Assim, eu consigo otimizar esta etapa da minha maquiagem dental. (Ricardo Tanaka)

Essa foi a rotina que criou para atender sua dupla jornada no consultório odontológico e em seu laboratório de prótese. Porque, muitas vezes, para de fazer uma maquiagem para atender um paciente e depois volta a maquiar, conforme relatou durante a transmissão desta aula. Mas, essas dicas se aplicam a diversas realidades nos laboratoiros de prótese do Brasil.

*Sobre o soprador: Ricardo adquiriu esse soprador na internet, no valor de 200-300 reais e afirma que é um grande aliado na otimização de tempo desta etapa do trabalho.

E essas foram apenas algumas dicas compartilhadas pelo professor, dentista, protético e palestrante, Ricardo Tanaka, neste conteúdo que está imperdível! Saiba mais sobre o professor e a maquiagem dental nesta matéria publicada aqui!

Agora queremos saber de você. Conta pra gente o que você utiliza em sua rotina diária que facilita o seu trabalho e otimiza seu tempo! Envie seus comentários abaixo, ou ainda, entre em contato pelo formulário ou pelas redes sociais. E até o próximo texto!

Redação Canal da Prótrese

Deixar um comentário