APDESPbr - O CANAL DA PRÓTESE ODONTOLÓGICA BRASILEIRA

Mercado em ortodontia e ortopedia é promissor

Dentre as especialidades da prótese dentária, a ortodontia e ortopedia é uma área em ascensão e oferece oportunidade pra quem quer se especializar. E para compreendermos este cenário, conversamos com a orto técnica Maria Candida Ramos. Como professora, palestrante, membro integrante da SOBOTA e assessora de ortodontia dos congressos APDESPbr, Maria Candida nos dá uma perspectiva otimista. Ela fala sobre a abertura do mercado para a especialidade de ortodontia e ortopedia funcional dos maxilares – OFM. Também nos conta qual o caminho a ser percorrido por técnicos e estudantes para a especialização. E ainda comenta a programação especial para o 16º Congresso Internacional APDESPbr e compartilha um pouco da sua trajetória profissional. Se você é técnico em prótese dentária – ou mesmo estudante – e pensa em se especializar, pode ser que encontre um caminho por aqui.

Primeiramente, vamos compreender mais a fundo do que trata a ortodontia e OFM, suas aplicações e procedimentos mais comuns.

>>Participe do Maior Evento da Prótese Dentária! O próximo é só em 2021! Inscreva-se!!! <<

O que é a especialidade ortodontia e ortopedia

Aparelhos Bionator Standard e Bionator Protetor. Foto: livro Coleção APDESP, ‘Ortodontia E Ortopedia’

Atualmente na odontologia existem duas áreas responsáveis em lidar com os problemas relacionados ao mau posicionamento dentário ou ósseo das arcadas: ortodontia e ortopedia funcional dos maxilares. Embora as duas pareçam semelhantes e utilizam aparelhos dentários para correção nas arcadas, apresentam diferenças nas especialidades a respeito de conceituação”, nos explica Maria Candida.

Ortodontia

A ortodontia é uma especialidade da odontologia reconhecida como aquela que estuda, diagnostica e trata problemas de crescimento, desenvolvimento da face e amadurecimento da mordida, perfil facial e arcos dentários, bem como desenvolvimento das dentições decídua, mista e permanente. Assim, atua de forma preventiva, interceptiva e de correção nas maloclusões.

“De forma simplificada, a ortodontia está concentrada na utilização de aparelhos fixos e ativos ou removíveis, que aplicam força externa para movimentar os dentes ou alterar a forma do maxilar”, resume.

Ortopedia Funcional dos Maxilares (OFM)

Já a ortopedia funcional dos maxilares, através da reabilitação neuro-oclusal (RNO), é uma especialidade que estuda desequilíbrios musculares e ósseos no maxilar. Ela atua nas forças naturais produzidas por todo o sistema corporal, através de estímulos neurais. “O aparelho utilizado nesta técnica é removível promovendo uma força passiva de pequena intensidade. Assim, estimula os nervos sensoriais da boca de modo que o próprio sistema responda com a remodelação das estruturas ósseas e musculares. Os aparelhos ortopédicos funcionais atuam sobre presença.”

Dispositivo para DTM. Foto: Acervo pessoal

As duas técnicas buscam a harmonia do contorno dos arcos dentários por meio de forças adicionais, que operam pela normalização da saúde bucal. E, desta forma, restabelecem a oclusão dentária, tendo como término de tratamento o selamento labial, a normoclusão e harmonia no perfil facial. O objetivo é equilibrar as funções que a boca exerce, como: respiração, boa dicção, mastigação, fonação e deglutição relacionadas à postura crânio cervical.

E Maria Cândida esclarece: “A correção dentária não é apenas uma questão de estética. Mas também uma questão funcional a qual evitará danos à ATM (Articulação Temporomandiular), perdas dentárias, inflamações gengivais e etc. A ortodontia não está somente relacionada à saúde bucal. Como também interfere na saúde geral do organismo, pois inúmeros problemas podem ser ocasionados com o mau posicionamento dentário.”

Procedimentos

Os procedimentos mais procurados atualmente pelos pacientes estão relacionados ao alinhamento dentário e à mordida aberta. Isso porque podem ser detectados mesmo sem noções amplas de ortodontia, pois são anomalias visíveis.

Ultimamente as facetas estão no ápice. Pois é uma solução bastante utilizada visando a estética. Apesar disso, não são aplicadas com fins ortodônticos. “É preciso uma consciência tanto dos profissionais, quanto dos pacientes, de que problemas ortodônticos não são sanados com facetas. Elas resolverão a parte estética. Por exemplo, se o paciente tiver algum problema de giroversão dentária, maloclusão, deglutição, fonação etc., a faceta não será um tratamento”, alerta Maria Candida. E é importante que se entenda essas diferenças porque problemas ortodônticos podem gerar outros desconfortos, não apenas o estético.

Aparelho Bionator CL II. Foto: Acervo pessoal

Já os alinhadores ortodônticos invisíveis, nem sempre são indicados apenas para o alinhamento dental, mas sim como tratamento ortodôntico. Considerando que, por muitas vezes, esses tratamentos empregam acessórios alternativos, os alinhadores podem ser aplicados em vários procedimentos.

Hoje são uma tendência na ortodontia, mas os alinhadores já existem a algum tempo no mercado. “Além de ser um método com resultados de sucesso, ele é mais estético e proporciona ao paciente mais discrição no uso. Esse tratamento é muito procurado por ser mais rápido no alinhamento dentário. E os pacientes costumam ser mais ansiosos devido à estética”, conta Maria Candida.

>> Assista às imperdíveis apresentações teóricas e práticas do Workshop dos Maestros. Saiba como adquirir o seu ingresso como item adicional!<<

Ortodontia e ortopedia: uma oportunidade

A tecnologia avançada disponível no mercado tem permitido maior precisão no diagnóstico e também velocidade no tratamento. Além de ter possibilitado a ampliação para um atendimento de ortodontia e ortopedia mais democrático.

O mercado na especialidade é esperançoso. Tem uma grande demanda e ultimamente está crescendo devido as inúmeras matérias esclarecedoras. Hoje a população é mais esclarecida e busca a saúde bucal desde a mais tenra idade.”, conta. Esse número também cresce entre os mais velhos. Só para exemplificar, estima-se que mais de 1 milhão de adultos são usuários de aparelhos ortodônticos nos Estados Unidos.

Isso porque o auxílio da ortodontia e da ortopedia funcional dos maxilares vai muito além da estética. Essas especialidades interferem em toda a funcionalidade da boca (mastigação e fala, por exemplo) e saúde como um todo.

“A tecnologia digital vem estabelecendo um padrão de qualidade por sua precisão e agilidade. Otimizando assim a hora técnica dos profissionais e permitindo também o surgimento de tratamentos diferenciados”, explica Maria Candida.

O que antes era atribuído como um recurso comum somente aos mais jovens, agora já é considerado de alcance de todos. Visto que não é incomum virmos pessoas acima dos 30 ou 50 anos em pleno tratamento ortodôntico, de aparelho nos dentes. Além de as peças estarem cada vez mais discretas e invisíveis, o que gera mais conforto e autoconfiança.

>> Explore as novidades das melhores marcas do setor na 16ª Expolab! Garanta o seu ingresso <<

A formação como orto técnico

E, para atender a essa demanda, são necessários profissionais especializados. O caminho para a especialização começa com a formação técnica em prótese dentária. “Depois, o aluno que escolhe seguir a ortodontia e OFM ingressa em cursos de aperfeiçoamento com professores qualificados e em especializações na área.”

Embora existam vários laboratórios conceituados especializados somente em ortodontia e ortopedia, ainda há espaço para quem tem vontade de aprender. “Atualmente temos muitos técnicos querendo se especializar, mas o número ainda é muito baixo para o que almejamos, pois muitos atuam no mercado sem interesse em aperfeiçoamento ou especialização. Infelizmente ainda há algumas resistências para investir em ciência.”

SOBOTA

Essa categoria essencial para o campo odontológica conta com o suporte da Sociedade Brasileira de Orto Tecnologia Avançada, a SOBOTA. Uma sociedade criada em 2015 com o objetivo de reunir estes profissionais. Bem como proporcionar um avanço científico para acompanhar as outras áreas da prótese que estão bem avançadas.

Além de membro fundador, o Dr. Walter Alborghetti Filho é quem preside a SOBOTA. Ele ressalta que a entidade foi criada para congregar os técnicos em prótese dentária que atuam com ortopedia e ortodontia. E esse posicionamento é, de fato, percebido na composição representativa da presidência. Onde estão as renomadas Dra. Wilma Alexandre Simões, como presidente de honra, e a TPD Tania Bindi, como vice-presidente.

Maria Candida junto ao presidente Dr. Walter Alborguetti Filho (primeiro à esquerda) e membros da SOBOTA. Foto: Acervo pessoal

Assim, o profissional especialista recebe da SOBOTA todo o suporte que necessita para a evolução na carreira. Uma vez que se defende a capacitação e reciclagem dos técnicos. “O propósito é mantê-los atualizados dentro das matérias pertinentes à disciplina. A fim de elevar o nível do orto técnico brasileiro para alcançar a excelência profissional. Tanto nos seus trabalhos, como em conhecimentos científicos e atualização”, destaca o Dr. Alborghetti.

A ampliação do conhecimento em ortodontia e ortopedia

Ao mesmo tempo em que sobram oportunidades, os instrumentos teóricos ainda não são numerosos. Maria Candida nos diz que esta realidade está mudando aos poucos.  “Há alguns anos atrás era muito restrito e os poucos cursos eram caríssimos. O número de livros vem aumentando e a grande investida nos congressos é de suma importância para nós.”

Desta forma, ter acesso a programações voltadas para este âmbito, como acontece no Congresso Internacional e no Encontro Brasileiro de Prótese Odontológica – EBPO, da APDESPbr, é imprescindível.

“A maioria dos técnicos qualificados em ortodontia e ortopedia atuam somente nessa área. Então uma grade específica é de grande valia, pois o conhecimento adquirido em cada palestra é capaz de reciclar o seu aprendizado, tornando o técnico cada vez mais apto na confecção de seus aparelhos e assim tendo um olhar mais crítico nos seus trabalhos diários. Para a cada evento realizado termos mais profissionais habilitados e capazes de fazer um trabalho funcional adequado e de qualidade”, ressalta Maria Candida.

Em lançamento de livro da APDESPbr ao lado de grande time, no CIOSP. Foto: Acervo pessoal

Grade especial para orto técnicos

Para sempre oferecer ao profissional técnico em prótese dentária o melhor suporte em conteúdo e informação, a APDESPbr se preocupa em preparar uma grade especial em seus eventos. “Antes de iniciar a preparação da grade é verificada a necessidade da classe no momento atual. Ou seja, a cada evento atendemos fases diferentes”, conta.

Como ministradora de cursos, Maria Candida participa de associações e mantém contato com inúmeros técnicos. “Os quais durante o ano comentam o que gostariam de conteúdo para acrescentar conhecimentos e até mesmo para uma reciclagem.”

>> Conheça a Programação da grade de Ortodontia e Ortopedia. E já garanta a sua vaga! <<

Ela revela que a preparação do evento é sempre feita com muita ansiedade, pois o intuito é agradar aos participantes e fazer o melhor a cada ano. “Outro parâmetro que ajuda muito na seleção da grade são técnicas novas, novos dispositivos e novos tratamentos que surgem no mercado. Pois tentamos sempre trazer as novidades, buscando inovar para que o interesse dos técnicos aumente a cada evento.”

 

Conteúdo imperdível

Assim como nos eventos anteriores, a programação do 16º Congresso Internacional da APDESPbr está imperdível. Maria Candida nos adianta que os “temas foram escolhidos à dedo, pois são diferenciados dentro da ortodontia e OFM. A grade conta com profissionais qualificados, capacitados e muito conhecidos na área.”

E nós conseguimos saber um pouco mais do que você vai encontrar. “Desde as técnicas de materiais utilizados, anatomia e fisiologia – tema de suma importância ao técnico –, dispositivos diferenciados, técnicas de caracterização, entre outros assuntos. Também dispositivos de ronco e apneia, assunto muito discutido no momento. E, o que não podia faltar, um tema em que o técnico tem muitas dúvidas, como legalizar o laboratório.”

>> Saiba quem são os palestrantes de Ortodontia e Ortopedia! Inscreva-se no Maior Evento da Prótese Dentária <<

Evolução e futuro da especialidade técnica

Maria Candida se mostra otimista com a evolução e futuro da especialidade da prótese dentária.

O futuro promete, pois temos muitos profissionais engajados que acreditam na ortodontia e ortopedia. Eles seguem estudando e publicando artigos científicos, os quais nos ajudam a cada dia melhorar nossas técnicas laboratoriais em prol da saúde bucal.”

E ela também fala do quão relevante é poder contar com “muitos eventos e cursos direcionados somente a essa área”. Bem como ter grandes parcerias como a APDESPbr, a Sociedade Brasileira de Orto Tecnologia Avançada – SOBOTA, Sociedade Paulista de Ortodontia – SPO e encontros promovidos pela Wilma Simões.

“Estou muito feliz com a evolução dentro do Congresso Internacional APDESPbr e do EBPO. Pois, nos últimos anos, a sala não deixou a desejar, se manteve sempre cheia com pessoas interessadas em participar das palestras”, relembra.

Maria Candida ao lado de Eduardo Moiolli, com quem dividiu o capítulo 10, Erika Leite e Paula Pires, autoras do capítulo 11 do livro ‘A arte na prótese dentária – um universo em harmonia’. Foto: Acervo pessoal

 

>> Mantenha-se atualizado com o livro ‘Clássico e Digital – O elo de equilíbrio entre as especialidades na prótese odontológica’. Adquira o seu exemplar com desconto de pré-lançamento <<

Desafios da ortodontia e ortopedia

“Dentro do mercado da prótese também está havendo um interesse grande. Mas, a minha preocupação maior é com aqueles que ainda relutam em uma qualificação adequada. Aqueles que são resistem em fazer cursos de aperfeiçoamento e especializações.”

Por serem especialidades da odontologia, atuar nesta área exige que o profissional tenha formação. “Ou ser cirurgião dentista, ter alguns cursos ou mesmo pós-graduação no assunto. Pois assim poderá aplicar as técnicas com total segurança nos pacientes. É preciso ter domínio sobre a etiologia das maloclusões, histologia, fisiologia, anatomia, estudos de cefalometria, embriologia, estudos de modelos… Além de dominar a técnica dos aparelhos que serão utilizados no tratamento, entre outros. Por sua vez, o técnico deve se submeter a cursos especializados e se capacitar em conteúdos essenciais. Porque ele precisa ter noção destes mesmo temas, ainda que não tão aprofundadamente como o Cirurgião Dentista”, destaca Maria Candida.

Ademais, o técnico tem por obrigação estar capacitado de conhecimentos para executar a confecção de um aparelho. Bem como saber todas as suas funções, para que não seja acarretado danos ao paciente após o uso. Pois cada acessório confeccionado em um aparelho, seja ortodôntico ou ortopédico, tem uma função única e os danos, muitas vezes, são irreversíveis.

Por isso o técnico não pode ter resistência em buscar cursos e aperfeiçoamento. Porque é essa bagagem de conhecimento que irá diferenciar suas técnicas de confecção”, conclui.

A trajetória de Maria Candida na orto técnica

Assim como muitos brasileiros, Maria Candida teve berço simples. “Vim de família humilde, mas com grandes princípios. Comecei a trabalhar cedo.” Porém, o seu caminho até a formação técnica em prótese dentária não pegou atalhos. “A minha primeira formação é como técnica em Contabilidade. E, com o passar dos anos, percebi que não era o que eu almejava.”

Por intermédio de um amigo, proprietário de laboratório, ela passou a ter contato com o universo da prótese e se apaixonar. “Eu admirava o trabalho, ficava maravilhada com as próteses executadas e sonhava em entrar na profissão.”

A curiosidade era o que aguçava o interesse de Maria Candida em estar próxima daquele ambiente. “Com o passar do tempo comecei a ajudá-lo em alguns trabalhos. E ele se propôs a me ensinar, mas eu queria saber muito mais do que técnicas. Eu queria saber o porquê de cada procedimento e o que poderia ocasionar se não fosse corretamente executado.”

Assim, percebendo o entusiasmo de Maria Candida em aprender, o amigo a incentivou a procurar um curso de formação técnica prótese dentária. “Mas naquele exato momento minha situação financeira não permitia e fui obrigada a abandonar o meu sonho. Até que, após alguns anos, minha condição melhorou e resolvi realizar meu sonho”, recorda.

Carreira profissional

Maria Candida, como docente, em formatura de turma do Senac. Foto: Acervo pessoal

Maria Candida tornou-se técnica pelo Senac, em 2006. E, ao identificar-se com a ortodontia, prosseguiu os estudos no curso de aperfeiçoamento. Logo em 2007, recebeu o convite para o cargo de Assistente de Curso na área e, em 2008, para ser ministradora. No ano seguinte, 2009, foi chamada por Munenobu Oshiro, então responsável institucional pelos cursos, a ministrar a cadeira de Ortodontia como professora convidada.

“Nossa!!! Minha felicidade não cabia em mim. Daí para frente nunca mais parei. Estive sempre participando de eventos, cursos de aperfeiçoamento e palestras, uma fome incrível de obter informações e conhecimentos na área”, conta.

Em 2012, ela entrou para o corpo docente do curso de formação em prótese dentária. Além de lecionar em cursos livres e de especialização em ortodontia e OFM na mesma instituição, onde continua até hoje. Nesse meio tempo, ela passou a colaborar na área científica dos Congressos organizados pela APDESPbr. Até que foi convidada pelo sócio fundador e presidente da APDESPbr, Toshio Uehara, a organizar as grades da especialidade.

E até o momento executo as atividades atribuídas a mim com muito orgulho e carinho. Pois fazer parte de uma Instituição tão séria e respeitada como a APDESPbr é um privilégio. Só tenho a agradecer a confiança que depositam no meu trabalho. Hoje sou uma pessoa totalmente realizada profissionalmente e tenho certeza de que busco a excelência em cada trabalho executado. No lado pessoal somente tenho a agradecer a Deus pela minha amada mãe, filha, dois filhos maravilhosos e um lindo neto.”

Junto à sua família. Foto: Acervo pessoal

Participe

Você também pode conhecer de perto outros profissionais como a Maria Candida, competentes, dedicados e satisfeitos com a carreira. O 16º Congresso APDESPbr está recheado de grandes nomes das diversas áreas da prótese dentária. Como dissemos ao longo do texto, o programa das apresentações foi especialmente pensado para cada especialidade e ramo da categoria.

Então se você está buscando se atualizar, aprimorar ou conhecer as novidades, venha ao Maior Evento da Prótese Dentária! Se você quer se reinserir, tem dúvidas sobre a carreira ou apenas gostaria de saber mais sobre o mercado, esta é a sua chance! Até porque o próximo será só em 2021! Aproveite a oportunidade e descubra-se no universo da prótese dentária! Garanta a sua inscrição!

Nós compartilhamos aqui um super Guia de Participação pensando em esclarecer todas as suas dúvidas. Mas, se acaso algo não for respondido, conte com a gente!😉 Entre em contato, deixando o seu comentário ou nos enviando uma mensagem nas redes sociais! Aproveite e segue a gente! E esteja por dentro de tudo o que acontece na prótese dentária!!!🚀

Redação Canal da Prótrese

1 Comentário

  • Excelente reportagem, uma ótima oportunidade para os que querem se aprimorar ou até mesmo, entrar para o mundo da ortodôntica. Parabéns!

1
Olá! Como podemos te ajudar?
Powered by