APDESPbr - O CANAL DA PRÓTESE ODONTOLÓGICA BRASILEIRA

O sucesso da prótese total poderá depender de uma simples e eficaz escultura gengival

Você, técnico(a) em prótese dentária, já considerou que a reprovação de uma prótese total pode estar ligada à falta do trabalho de escultura gengival?

Há alguns anos não era comum o protético ‘perder seu tempo’ colorindo as resinas acrílicas durante as acrilizações. Tampouco as ceras para escultura das gengivas após a montagem dos dentes. Perda de tempo e bastante bizarro.

Pelo contrário, era mais comum não executar nenhum tipo de escultura. ‘Porque o dentista sempre pode mexer na montagem, mudar alguma coisa com seus instrumentais e assim estragaria tudo! Trabalho perdido!’

 

Quantas vezes ouvi essa história nos meus cursos e até vivi isso em laboratórios de prótese dentária que visitei. E pra ser bem honesta: um dia, lá atrás, eu também pensei assim.

Mas com o passar do tempo, tive a certeza que deveria mudar meus pensamentos e obter novas convicções. O que veio com muito estudo, dedicação e com o objetivo de executar um trabalho cada vez melhor e de excelência. Ter a oportunidade de poder transmitir esse conhecimento adquirido a todos que passassem pela minha vida começou a me encantar, então me dediquei ainda mais.

 

A experiência acrescenta novos paradigmas

Sim, a escultura gengival é muito importante na hora da prova dos dentes! Relevante para o paciente já se familiarizar com as suas futuras próteses. Importante para ativar a identificação e aceitação dos novos aparatos que lhe acompanharão por um longo tempo de sua vida.

Ele deve aprovar, sentir-se confortável, feliz e opinar se gosta ou não do formato e cor dos dentes. Da tonalidade da cor da gengiva. De possíveis caracterizações que possa vir a escolher para seus dentes em relação às manchas ou posicionamentos. Avaliar se sente-se ou não confortável com as próteses. E isso só se torna possível durante a prova com as gengivas totalmente esculpidas e caracterizadas com cera própria. Além disso os dentes devem estar fixados com uma cera especial para que não se soltem durante o processo.

Em minha trajetória de 25 anos de profissão vi pacientes recusarem as próteses no momento da prova por virem suas gengivas vermelhas e lisas. Por mais que explicássemos que aquilo se transformaria em um rosa clarinho, ou até mesmo num rosa mais próximo da cor de sua mucosa, ele já não nos ouvia mais. Dali para frente só colocaria defeitos em tudo e era até possível que esse paciente nunca mais voltasse depois das próteses instaladas. Simplesmente por guardá-las numa gaveta e deixá-las para lá.

Poderiam estar esteticamente lindas e também de acordo com os princípios funcionais, mas tornaram-se um insucesso! Um insucesso para todos nós!

O que pode fazer a diferença na aprovação de suas peças protéticas

Então, a escolha do profissional em trabalhar já na montagem dos dentes com uma cera de fixação e esculpir a gengiva com cera própria para caracterização, pode tornar este momento um sucesso. Entregar uma prova com a gengiva nas cores e tonalidades próximas às de sua mucosa certamente aumentará as chances de termos a peça protética instalada e o paciente satisfeito.

Opte em estudar as cores da mucosa do paciente. Analise bem por foto. Faça um mapeamento. Conheça as diversas ceras e kits que o mercado oferece. Estude as gengivas através de livros de periodontia, fotos, treine, treine mais um pouco. Escute os profissionais experientes com suas dicas e ensinamentos e faça seu melhor.

Certamente, com o êxito em cada trabalho, haverá o aprimoramento e finalmente o estreitamento com seu cliente dentista que não irá querer trabalhar com outro profissional. Essa fidelização será o sucesso de sua marca para a sua carreira. Pense nisso.

 

Lucimara Sertório

Tecnóloga em Prótese Odontológica e Especialista em Prótese Total. Pedagoga apaixonada, com imenso prazer em conciliar a prótese com a educação e compartilhar conhecimento.

Deixar um comentário

Receba nosso conteúdo