APDESPbr - O CANAL DA PRÓTESE ODONTOLÓGICA BRASILEIRA

Por que ser digital?

Quem pergunta e quem responde é Sabrine Henn, técnica em prótese dentária especialista em tecnologia digital e treinamentos em CAD/CAM. A técnica conta que levanta esse questionamento em toda aula que ministra.

Por que ser digital? Por que é bonito? Por que está na moda? É ferramenta de marketing? – Não, né. Porque o digital traz mais conforto ao paciente, agilidade na preparação dos casos e a gente tem muita previsibilidade.

E continua chamando atenção para um comportamento que barra muita gente nesta adaptação ao fluxo digital. “Por que mudar algo que foi feito a vida inteira da mesma maneira? Por que mudar agora?”

 

 

Porque através do digital a gente tem menos chance de erro e trabalhamos com muitas ferramentas. A gente pode alinhar fotografia. A gente pode trabalhar com escaneamento facial. A gente usa inteligência artificial para seleção de formas anatômicas. E as pessoas estão aos poucos percebendo isso.

Claro que há um investimento importante e todos sabem os esforços em finanças, educação e gestão para operar essa transformação nas ferramentas utilizadas para a confecção das próteses dentárias em fluxo digital. Porém, há também diversas possibilidades, como terceirização de boa parte desse fluxo para atender a uma demanda e fazer parte da mudança. O conhecimento é sempre o caminho para fazer a escolha mais adequada em cada caso.

Quanto a essa adaptação Sabrine se mantém otimista. “Eu sei que é difícil a gente sair da zona de conforto. Mas uma vez que a gente da o primeiro passo, pular a ponte é o mais fácil. O difícil é dar a arrancada. Pular, saltar, depois a gente salta e a gente se ajuda. Estamos aí para compartilhar conhecimento.”

E sobre compartilhar conhecimento Sabrine afirma: “Sim, eu ensino tudo o que eu sei. Eu não tenho cartas na manga.” Generosidade? Visão estratégica? Essência? Acho que um pouco de tudo. Porque de fato há muita inteligência em promover um mercado mais bem preparado onde todos usufruem dos benefícios do conhecimento.

Há muita segurança pessoal também. Porque cada um carrega um pouco do professor, mas imprime seu jeito próprio no que faz. Mas há ainda, e acima dos itens anteriores, a essência da pedagoga que se tornou protética e que ama testemunhar o crescimento do próximo com a doação da sua porção do saber.

Sabrine ministra treinamentos para cadistas, profissionais que desenham os projetos das peças protéticas a serem produzidas no software (CAD). E compartilha a preocupação com a formação de novos profissionais, aptos a trabalharem com o mercado que vem se remodelando nos últimos anos.

E você? Como está se adequando às novas tecnologias? Conta pra gente!

Quer saber mais sobre o projeto que Sabrine trabalha e como começou nesta área? Então, acesse aqui o vídeo anterior porque ainda vale muito a pena conferir o depoimento sobre como descobriu seu propósito quando escolheu a prótese dentária. Profissionalismo, carisma e propósito. Não a perca de vista! Como pode ficar claro acima, essa gaúcha ama compartilhar e é generosa e talentosa o suficiente para quebrar as suas objeções. 😉

Não perca o próximo vídeo com Sabrine Henn, aqui, no Canal da prótese.

Até!

Maria Fernanda Marques

Gestora de comunicação e marketing na Cairós Humaniza. Especialista em branding, comunicação humanizada e planejamento estratégico. Acima de tudo, apaixonada por gente! E motivada pelas relações humanas e as boas histórias que delas resultam, sobre pessoas e marcas.

Deixar um comentário