APDESPbr - O CANAL DA PRÓTESE ODONTOLÓGICA BRASILEIRA
Reabilitação oral em pacientes com fissura labiopalatal

Reabilitação oral em paciente com fissura labiopalatal: veja análise de caso

A fissura labiopalatal, também conhecida como lábio leporino, é uma má-formação congênita comum em recém-nascidos. Estatísticas apontam que um a cada 650* bebês nascem com ela, e a fissura pode envolver o lábio, o palato ou ambos. Nesta matéria, vamos entender quais são as características dessa anomalia e como uma prótese dentária pode auxiliar nesse tratamento, promovendo uma reabilitação oral completa. 

Alguns dos principais problemas que um paciente com fissura labiopalatal pode enfrentar são dificuldades de alimentação, respiração e fala. Além disso, há a possibilidade de essa condição causar problemas psicológicos. Portanto, o tratamento envolve diversos profissionais. Geralmente, a primeira cirurgia para o fechamento da fenda é realizada nos primeiros meses de vida do bebê, mas esta é apenas uma parte do tratamento. 

Ao longo da matéria, vamos acompanhar um caso apresentado em um capítulo do livro A arte na prótese dentária – um universo em harmonia, coordenado pelos técnicos em prótese dentária Marcos Celestrino e Renata Vano, e entender como o trabalho do tpd pode contribuir para uma reabilitação estética e funcional. Caso você tenha interesse em conhecer o livro, ele está disponível na Editora Napoleão Quintessence. Clique aqui para acessar o site.

 

Reabilitação oral em paciente com fissura labiopalatal – análise de caso

Após a primeira cirurgia realizada nos primeiros meses de vida, geralmente os pacientes com fissura labiopalatal costumam passar por outros procedimentos relacionados à boca e face. Esses procedimentos têm o objetivo de alcançar uma maior harmonia estética e funcional.

 No caso apresentado no capítulo do livro, escrito pela cirurgiã-dentista Marisa Bonissoni Bruschi e pelo técnico em prótese dentária Marcos Celestrino, a paciente Caroline já havia realizado muitas cirurgias, mas ainda não havia encontrado seu sorriso ideal. Após a análise clínica, foi observado que o terço inferior da face necessitava de um maior equilíbrio. Esta área do rosto, que envolve a musculatura orofacial, o contorno dos lábios e a exposição dos dentes, precisava de um suporte e tamanho mais adequados.

 

 

Paciente em caso de fissura labiopalatal
Créditos: A arte na prótese dentária – um universo em harmonia

Devido à falta de estrutura óssea ocasionada pela fissura labiopalatal, havia uma assimetria na musculatura facial e labial do lado esquerdo, conforme é possível observar nas imagens ao lado.

Em casos de pacientes com fissura labiopalatal, a ausência do incisivo lateral superior é comum. Na paciente Caroline, essa característica também estava presente. Com isso, foi observado que seria necessário realizar a transformação do canino em incisivo lateral esquerdo e do primeiro pré-molar esquerdo em canino esquerdo. 

Além disso, por conta da diferença na altura no rebordo alveolar esquerdo, havia um posicionamento desproporcional na margem incisal dos dentes, caracterizando um desnível oclusal que precisava ser corrigido.

Realização do mock-up: uma etapa fundamental para a previsibilidade do caso

Com todas as características analisadas, foi realizado um mock-up com resina bisacrílica. Nesta tentativa, o canino esquerdo foi transformado em incisivo lateral e o primeiro pré-molar em canino, além disso, foram ajustados o volume e o contorno vestibular do segundo pré-molar.

Entretanto, de acordo com os autores, a transformação não havia atingido as expectativas de mudança da paciente e da necessidade de suporte muscular e ajuste oclusal. Por isso, foi realizada uma prova aditiva com resina composta modificando a exposição dos dentes a partir da observação do suporte labial, fonética, musculatura da face, oclusão e sorriso.

Apenas com o ensaio foi possível identificar onde as melhorias precisavam ser aplicadas e, então, aprimorar a peça protética. Um outro ponto relevante sobre o mock-up é que os pacientes tendem a se sentir mais seguros ao ter uma visão de como será o resultado. Portanto, podemos concluir que a etapa de realização do mock-up é fundamental para o desempenho satisfatório do tratamento. 

A confecção dos dentes no tratamento de paciente com fissura labiopalatal

O material escolhido para o tratamento foi a cerâmica dental. No livro, a justificativa é que seria necessário uma grande transformação de forma e volume para se atingir o objetivo estético e reabilitador. Além disso, a cerâmica garante propriedades ópticas naturais, como translucidez e opacidade, por exemplo, o que também influencia no resultado do tratamento.  

Para o preparo dos dentes anteriores, é fundamental levar em consideração as estruturas dentárias e suas funções, ou seja, os princípios biomiméticos. Em alguns casos, pacientes com fissura labiopalatal, onde o palato também é afetado, também podem receber uma prótese de palato, um tratamento caracterizado como anaplastologia.

Por isso, nesta etapa, a comunicação clínico-laboratorial é essencial. Afinal, cada paciente possui objetivos diferentes e características próprias que precisam ser compreendidas pelo ceramista. Sobre isso, a dentista Marisa Bonissoni e o protético Marcos Celestrino constatam no capítulo:

“Com o diálogo, podemos desenvolver as reabilitações em plena harmonia e previsibilidade, utilizando toda a tecnologia laboratorial e detalhamentos humanizados” (Livro A arte na prótese dentária – um universo em harmonia)

No caso da paciente Caroline, fotos, modelos e a moldagem dos preparos foram enviadas ao laboratório de prótese. A partir disso, iniciou-se a fase da tecnologia CAD/CAM, onde foram analisadas as diferenças do modelo aprovado pela paciente e do modelo de preparo e realizados os ajustes solicitados.

O resultado do tratamento – veja o antes e depois

O último passo foi provar as peças cerâmicas, tanto nos modelos, como na boca, e cimentar o trabalho. O resultado alcançou as expectativas estéticas e funcionais, entregando a harmonia desejada pela paciente. Veja abaixo o antes e depois:

Antes do tratamento | Créditos: A arte na prótese dentária – um universo em harmonia
Depois do tratamento | Créditos: A arte na prótese dentária – um universo em harmonia

Esse caso é apenas um exemplo de reabilitação oral em paciente com fissura labiopalatal, pois existem diversos quadros diferentes. Afinal, como mencionado anteriormente, cada paciente tem seus objetivos e características próprias que precisam ser levadas em consideração em todas as etapas.

Sendo assim, o que podemos considerar fundamental em todos os casos é a atenção às expectativas do paciente e o comprometimento clínico e laboratorial para atingir seus objetivos. É importante lembrar que pacientes nessas condições lidam com a busca pela harmonia estética e funcional a vida toda, e poder confiar em profissionais que entreguem um tratamento satisfatório é imprescindível. 

Tem muito mais para ver com a APDESPBR!

Se você gostou desse conteúdo, com certeza vai se identificar com o livro A arte na prótese dentária – um universo em harmonia, da Coleção APDESPBR com edição da Napoleão Quintessence. Para saber mais sobre a obra, clique aqui

E é claro, também vai se identificar com os conteúdos incríveis publicados semanalmente aqui no Canal da Prótese. Para ficar por dentro de quando eles são lançados, acompanhe nossos perfis nas redes sociais (@apdespbr e /apdespbr) e no Telegram! Em breve, traremos novidades que vão fortalecer essa nossa corrente digital! 😉

*Dados do Hospital de Reabilitação de Anomalias Craniofaciais (HRAC)

Fonte: Livro A Arte na prótese dentária – um universo em harmonia | Capítulo 13, autores, Marisa Bonissoni Bruschi e Marcos Celestrino. 


 

Redação Canal da Prótrese

Deixar um comentário


Um novo plano de associação

Acompanhe nas redes

Instagram

Unsupported get request. Object with ID '17841402231705172' does not exist, cannot be loaded due to missing permissions, or does not support this operation. Please read the Graph API documentation at https://developers.facebook.com/docs/graph-api