APDESPbr - O CANAL DA PRÓTESE ODONTOLÓGICA BRASILEIRA

Reedição brasileira do livro de anatomia e escultura dental que é sucesso na prótese dentária

Para quem espera informações sobre o livro da Coleção APDESPbr Anatomia e escultura dental com autoria de Hilton Riquieri e edição da Napoleão Quintessence, essa é uma excelente notícia. Constantemente recebemos perguntas em nossas redes sobre essa obra. Muitas pessoas aguardam por esse título que foi um sucesso nas edições de livros voltados aos técnicos em prótese dentária e cirurgiões-dentistas protesistas. 

Em 2019 o livro de anatomia e escultura dental ganhou versão em inglês. E para essa matéria, o editor Guilherme Napoleão, sócio-diretor da Napoleão Quintessence, divulga uma reedição no Brasil que promete surpreender. Conversamos também com Hilton Riquieri, autor desse título que foi um sucesso da Coleção APDESPbr, assim como os outros três publicados e igualmente esgotados. Confira abaixo o que torna esse livro tão especial e o porquê você precisa ficar de olho nesse novo lançamento para não ter que aguardar por mais uma edição depois. 😉 [Ao longo do texto você verá algumas páginas do livro, confira!] 

As palavras do autor

O técnico em prótese dentária e cirurgião-dentista Hilton Riquieri é conhecido e muito querido por seus alunos com o seu jeito bastante peculiar de se relacionar com seu público e transmitir conhecimento. Quem já teve oportunidade de acompanhar uma aula sua entende muito bem essas palavras. 

O que deixa o livro ainda mais interessante é que essa personalidade foi impressa em suas páginas juntamente com conteúdo científico e didática que conquista leitores dos mais diversos níveis de saber. Um passo a passo com fotos que guiam o estudante com primor. Na reconhecida qualidade da editora Napoleão Quintessence. Tudo isso atestado e organizado pela associação mais representativa da prótese odontológica brasileira. Entendeu porque o título está esgotado em todos os canais de venda?

Para entender mais fique com as palavras do próprio autor, porque de fato ele é muito bom em se fazer entender e personificar sua mensagem. Leia o conteúdo enviado à nossa redação por Hilton Riquieri sobre o projeto do livro. Até porque, como ele mesmo inicia seu texto: “A história é longa!” Então conta pra gente, Hilton.

 

A carreira de Hilton Riquieri

Comecei a trabalhar em laboratório de prótese em 1981, em Uberlândia, minha cidade natal, aos 13 anos de idade. Aos 17 decidi que daria Odontologia. Aos 22 anos me formei em Bragança Paulista pela Universidade São Francisco, em 1989. Por conta dos conhecimentos em laboratório, em 1992 passei a integrar o Curso de Especialização em Implantodontia da FOUSF como professor assistente. Em 1995 já havia concluído minha especialização em prótese dentária. 1996 foi o ano em que fiz a primeira viagem ao exterior em busca de conhecimento. Nesse mesmo ano ministrei a minha primeira aula, como professor convidado, no Grupo de Estudos do Professor Krunislave Nóbilo, em Piracicaba. Os anos seguintes foram muito intensos, com cursos e palestras em jornadas acadêmicas, encontros de prótese, cursos de graduação, pós-graduação e congressos. Simultaneamente, levando as atividades no consultório paralelas com as do laboratório, sempre com o predomínio deste último. Em 2001 conclui o Mestrado em Dentística e, recentemente, em Dezembro de 2017, o meu Doutorado em Prótese, pelo ICT-Unesp, de São José dos Campos, SP.

Muitas oportunidades surgiram através do contato com renomados profissionais da prótese e entre eles estava Luís Alves Ferreira, que na época era diretor científico da APDESPbr. Veio dele o convite para ministrar um curso na entidade, em 2002. O nome do curso era: Anatomia em Cerâmica, Técnica das Gotas. Entretanto, eu percebia que os alunos tinham uma certa dificuldade em manipular a forma, pois sempre privilegiavam a estratificação. Nesse momento, fui fazer um curso de anatomia e escultura em cera com o Professor Paulo Kano. Ali caiu a ficha!

Quando a ficha caiu e surgiu o diferencial

Entendi que a memorização da morfologia dentária era um processo de desenvolvimento cognitivo sujeito a etapas pedagógicas graduais. Ou seja, o resultado da escultura em cerâmica ficaria tanto melhor quanto precedido por escultura em cera. A partir deste ponto um paradigma se firmou e mudei a minha metodologia de ensino. Os resultados dos alunos começaram a superar minhas expectativas e, a partir daí, percebi o quanto o conhecimento auferido impactava positivamente na vida e na autoestima das pessoas. Tornando-as profissionais melhores e mais conscientes.

O meu curso, que começou com apenas dois módulos mensais de dois dias passou a ser de seis módulos mensais: cera e cerâmica, posteriores e anteriores. Ali começou o meu crescimento como professor independente de morfologia. Os anos se passaram e agreguei tópicos avançados de teoria da oclusão no meu curso para fundamentar aquilo que eu ensinava, que era morfologia funcional. Ou seja, todo o relevo anatômico é consequência da função mastigatória e da relação maxilo mandibular, estática ou dinâmica, em oclusão cêntrica ou em movimento.

Com o treinamento que o ato de ensinar nos proporciona, onde quem mais aprende é o professor, através de repetição exaustiva, fui desenvolvendo técnicas associadas à Neurolinguística de Bandler e Grinder, ao Construtivismo de Jean Piaget e ao Concreto/Abstrato de Maria Montessori, em um verdadeiro mix cujo resultado final é a formação da tão almejada memória de longo prazo. 

O resultado do trabalho bem feito

Depois de algum tempo percebi que todo o meu material de apoio foi se avolumando, os modelos usados, as apostilas, os instrumentos, os textos, artigos, as leituras complementares e desenhos. Nesse ínterim percebi o que tinha nas mãos: o protótipo de um livro. Então falou alto a vaidade humana! Aquela que nos impele à frente e nos faz querer ser lembrados como alguém cuja existência deixou legados. Nasceu o desejo de fazer um livro detalhando o método que  eu ensinava nos cursos de oclusão por meio de técnicas de enceramento – a Técnica Regressiva por “Amassamento”.

A sorte estava ao meu lado! Em 2014 fui convidado pela direção da APDESPbr a fazer parte de um projeto audacioso chamado Coleção APDESPbr, um compêndio de temas relacionados à área dos laboratórios de prótese, em parceria com a Editora Napoleão, como o autor do volume I, Anatomia e Escultura Dental. Convite aceito! Com dois anos de atraso e ajuda fundamental do meu coautor, o meu filho Rodrigo, responsável pelas magníficas fotografias, finalmente o livro foi lançado no Encontro Brasileiro de Prótese Odontológica, o EBPO, organizado pela APDESPbr, em Setembro de 2016. O sucesso foi imediato.

Sucesso imediato

Dois meses depois, antes do final do mês de Novembro, a primeira edição já havia esgotado, o que ensejou o lançamento da segunda edição, durante o CIOSP , em janeiro de 2017. Mesmo com o dessabor ocasionado pela intensa pirataria do livro, agora, decorridos quase três anos, a segunda edição também já se esgotou.

Em um mercado onde o grande referencial é a obra do Professor Paulo Kano, Desafiando a Natureza, livro mundialmente conhecido pela excelência e que estabeleceu um novo parâmetro de qualidade e conteúdo, poder somar ao cenário do conhecimento uma técnica diferente é uma grande honraria.

Tendo como referências pessoais específicas na área os trabalhos de Peter K. Thomas (PKT), Dieter Shoulz, Kataoka, Nishimura e Yamamoto, Enrico Steger, Dario Adolfi, Alberto Battistelli e Paulo Kano, atribuo a boa receptividade ao meu livro à constante demanda da área por novos títulos e às características peculiares do momento em que vivemos no Brasil. De alta valorização dos temas elementares, vinculada ao tráfego de informações de alta velocidade, em função da internet e redes sociais. Além da perceptível redução do número de Técnicos em Prótese Dentária, ambos de âmbito mundial, que empurram o setor em direção à inexorável mecanização dos sistemas de produção e ao necessário domínio sobre os softwares de desenho, cujas bases são, vejam só, a morfologia dentária. 

A gestação do projeto

Não tinha o menor vislumbre do que aconteceria!! Como criador da ideia, deseja-se apenas que o resultado agrade ao público. Contudo, transformar-se em uma referência para o segmento era algo imponderável. A boa repercussão foi uma grata surpresa. É nítida a qualidade de sua fotografia e de seu acabamento, porém, quanto à apresentação visual os créditos são devidos aos editores, os irmãos Leonardo e Guilherme Napoleão.

Durante o processo de criação, a vaidade comanda o pensamento. Eu queria um livro horizontal, pesado, com 500 páginas, figuras espelhadas e caro! É isso mesmo! Caro! Afinal, é a obra da minha vida! Hoje percebo o quanto importante foi o tempo de “gestação”. É nesse período que devemos refletir e amadurecer o olhar sobre o “filho”. Livro caro tem pouco alcance, então, se o objetivo é disseminar conhecimento preços elevados impedem essa dinâmica.

O resultado foi esse – estilo Case Book: muita imagem com escrita estritamente necessária. Passo a passo com imagens sequenciais e autoexplicativas. Informação instantânea capaz de sensibilizar os centros da cognição. Lição aprendida!  A percepção de todos esses detalhes veio com o tempo.

Guilherme Napoleão (sócio-diretor da editora Napoleão Quintessence, Hilton Riquieri (cirurgião-dentista, técnico em prótese dentária e autor do livro), e Claudionor Aranha (técnico em prótese dentária, coordenador da Coleção APDESPbr)

Graças aos conselhos e experiência dos editores, o resultado conseguiu abranger boa parte desses ditames. À sagacidade da APDESPbr em perceber o momento adequado e todo o suporte que a instituição proveu à essa empreitada foram fundamentais. Olhando pelo retrovisor, percebo que o bom desempenho do livro é fruto de uma somatória de boas decisões, no tempo certo, sobre um assunto interessante, com uma abordagem diferente.

 

A reedição do livro no mercado brasileiro e a versão em inglês

Atualmente em conversa com o Dr. Hilton, nós decidimos fazer uma nova edição do livro – uma edição ampliada. Com a possibilidade de mudarmos o formato e design para o lançamento dessa nova edição. Estamos muito esperançosos e felizes com o projeto da reedição do livro e esperamos em breve apresentar ao mercado brasileiro. (Guilherme Napoleão, sócio-diretor da editora Napoleão Quintessence)

Sobre o projeto do livro em inglês, Guilherme conta que a editora Napoleão representante da marca Quintessence no Brasil, que é a maior editora do mundo, tem portas abertas para apresentar projetos fora do país. E acrescenta que o escritório no Brasil tem autonomia para traduzir e tocar os projetos que representam a marca. “No caso do livro do Dr. Hilton foi muito importante a presença dele em eventos internacionais, onde estávamos juntos. Na ocasião, tive a oportunidade de apresentá-lo a editores de vários países e especialmente ao Willian Hartman que é o editor da Quintessence Estados Unidos. Ele conheceu e gostou muito do trabalho do Dr. Hilton Riquieri e decidiu realizar o projeto. O lançamento foi no ano passado e ainda está acontecendo lá fora, mas é um projeto que certamente será bem sucedido no mercado internacional.”  

Guilherme também afirma: “Pra ser sincero esperávamos sim um retorno positivo. Um projeto que idealizamos observando a lacuna existente no mercado. E com os grandes nomes que foram propostos, sabíamos que não poderia dar errado.”  

 

Acompanhe as próximas matérias, em breve você terá novidades por aqui. Enquanto isso, todos os nossos canais estão recheados de novidades e conteúdo de qualidade pra você. Até!

Maria Fernanda Marques

Gestora de comunicação e marketing na Cairós Humaniza. Especialista em branding, comunicação humanizada e planejamento estratégico. Acima de tudo, apaixonada por gente! E motivada pelas relações humanas e as boas histórias que delas resultam, sobre pessoas e marcas.

2comentários

  • Parabéns aos doutores professores essa é uma área que eu adoro embora ainda não tive a oportunidade de ler o livro, espero poder adquirir um exemplar o quanto antes, abraço a todos e mais uma vez parabéns aos envolvidos nessa Obra.

    • Olá Marcos! É um livro incrível, nosso mestre Hilton sempre nos surpreende. Esperamos que tenha oportunidade de conhecer essa grande obra.