APDESPbr - O CANAL DA PRÓTESE ODONTOLÓGICA BRASILEIRA

Resíduos odontológicos geram capacitação e empoderamento em comunidades da capital paulista

A Sorriso Sustentável Soluções Ambientais iniciou a implantação de novo projeto para a reutilização de resíduos odontológicos. A proposta do ‘Acenda esta ideia’ gira em torno da ressignificação. Não apenas em relação ao material descartado que é reutilizado, que, se não fosse segregado na fonte geradora, iria para o aterro sanitário. Mas também do públicoalvo dessa ação: mulheres de baixa renda que habitam comunidades de São Paulo e estão sendo capacitadas para a confecção de velas artesanais à base de cera odontológica não contaminada.

“Para fecharmos nossa cadeia de valor, só estava faltando uma comunidade para fabricar os produtos sociais que desenvolvemos com os resíduos odontológicos”, afirma Silvia Berlinck, TPD e diretora executiva da Sorriso Sustentável.

Os encontros para a capacitação das mulheres ocorrem no formato de oficinas. O primeiro núcleo foi implantado na Comunidade Mauro, no bairro da Saúde, no dia 1º de dezembro, numa ação de Integração e Pertencimento – ATO 1, em parceria com a Subprefeitura da Vila Mariana através da abertura ao diálogo junto ao subprefeito Fabrício Cobra, CADES Vila Mariana, Agenda 2030 Vila Mariana, Horta Comunitária da Saúde e Conselho Participativo.

Sorriso Sustentável levando capacitação a partir de resíduos odontológicos. Foto: Arquivo pessoal Silvia Berlinck

“Essa ação parte da iniciativa da sociedade civil que organizada entre os coletivos da região, propõe adequação de um espaço público desativado para gerar conteúdo de arte, cultura, educação, sustentabilidade, saúde e bem-estar para a região e toda a cidade. A Sorriso Sustentável apresentou o Programa Resíduo Zero e realizou uma demonstração de confecção de velas para levar o empreendedorismo social na comunidade.” Com a oportunidade, oito mulheres se inscreveram no projeto.  De acordo com Silvia, este é somente o começo dos trabalhos.

‘Acenda esta ideia’: resíduos odontológicos e empoderamento

Será um programa permanente de capacitação, empoderamento feminino, geração e/ou complementação de renda. Boas práticas locais para impulsionar o desenvolvimento inclusivo e sustentável nos territórios de atuação.”

Segundo Silvia, o plano inicial é escalar o projeto para várias comunidades da cidade de São Paulo. E depois, em outra etapa, expandir para o Brasil. “Nossa marca e dos nossos apoiadores em todo território nacional promovendo o desenvolvimento inclusivo e sustentável no âmbito da Agenda 2030 da ONU, a responsabilidade social, a regeneração ambiental e o resgate de valores através de parcerias públicas e privadas.”

Enquanto empresa de impacto social, a iniciativa do projeto da Sorriso Sustentável “surgiu durante os processos que buscamos, através de pesquisas, entrevistas e processos de cocriação, identificação e sistematização do mecanismo Receita + Impacto. Uma dinâmica com a qual a organização interage, com os nossos clientes e beneficiários, para a geração de resultados financeiros e valor coletivo.”

No entanto, a escolha e idealização do produto final foi colaborativa. “O processo iniciou com a valoração destes materiais que foram segregados dentro da metodologia do Plano de Gerenciamento de Resíduos idealizado e desenvolvido na Sorriso Sustentável. Estes materiais foram encaminhados para a Silvana Toledo, designer de produtos sustentáveis, que desenvolveu as velas artesanais confeccionadas com resíduos de ceras odontológicas e outros produtos apresentados na 16ª Expolab. Assim como também cocriamos o nome da oficina ‘Acenda esta Ideia’.”

Como tudo começou

“As velas artesanais foram apresentadas no último CIOSP [2019], durante nossa palestra em estande dental. E já realizamos duas oficinas, uma para integração da equipe da Sorriso Sustentável e outra, para os alunos do SENAC, realizada no Dia Mundial do Meio Ambiente, em 05 de junho”, conta Silvia.

Por outro lado, o insight para a necessidade de reaproveitamento dos resíduos odontológicos partiu da própria Silvia em 2017: “no meu laboratório, durante a montagem de modelos no articulador, com a sobra do gesso na cubeta, modelei bolinhas e inseri no fundo das floreiras, substituindo a argila expandida usada para a drenagem da água.” A TPD relembra que o reaproveitamento do gesso na jardinagem foi a primeira ação realizada com os materiais que seriam descartados e destinados para os aterros sanitários.

“Também faço reparos em utensílios domésticos e de decoração utilizando materiais odontológicos.  Com a haste do microbrush e com resina autopolimerizável, já fiz reparos em cafeteiras e tampas de coletores de resíduos sólidos. Na verdade, esta prática de restaurar utensílios e objetos vem desde antes da idealização da Sorriso Sustentável Soluções Ambientais Ltda. Desta forma, é possível aumentar a vida útil dos produtos e diminuir o impacto gerado com o volume de resíduos odontológicos gerados”, esclarece Silvia.

Sorriso Sustentável

A atuação da Sorriso Sustentável Soluções Ambientais Ltda. enquanto empresa é bastante recente. Inclusive, a inauguração oficial aconteceu durante o 16º Congresso Internacional de Técnicos em Prótese Dentária, promovido pela APDESPbr. Como TPD, Silvia mantém uma relação de parceria com a entidade desde quando a Sorriso Sustentável era um projeto. Porém, os cinco anos de existência foram marcados por diversas atividades de impacto positivo e a evolução do status. O qual permitiu a projeção, credibilidade e presença efetiva da marca em operações socioambientais ainda maiores.

Só para exemplificar, somente em dois anos, a empresa coletou 35 kg de aparas de materiais termoplásticos em clínicas, consultórios e laboratórios. Além de servir como um exemplo impulsionador de práticas mais conscientes até internacionalmente.

>> Conheça mais sobre a história de Silvia Berlink e da Sorriso Sustentável <<

O ‘Acenda esta ideia’ conta com sete integrantes que compõem a equipe interna da Sorriso Sustentável. Mas Silvia garante que também recebe o apoio de voluntários em eventos externos. Os resíduos são encaminhados às oficinas de trabalho através de um planejamento organizado.  “Nossa empresa, em parceria com outras – estamos articulando acordos setoriais – promove a logística reversa destes materiais, encaminhando-os para as comunidades”.

Na prática

Isso porque a Sorriso Sustentável também estará presente em algumas ações com o ‘Mutirão nos Bairros’ pela cidade. Nestes mutirões 4.000 pessoas são impactadas. O projeto é coordenado pela Secretaria Municipal de Relações Sociais e objetiva levar os serviços ofertados nos equipamentos da administração municipal para próximo da população que mais precisa, além de promover atividades de zeladoria.

Assim, essa iniciativa servirá de alicerce para a extensão das capacitações em outras comunidades paulistanas. Aliás, somente no primeiro semestre de 2020, mais de 15 localidades serão contempladas pelo cronograma de atividades (sujeito a alterações):

  • 18/01, Guaianases;
  • 01/02, Parelheiros;
  • 08/02, Itaquera;
  • 15/02, Campo Limpo;
  • 07/03, Freguesia/Brasilandia;
  • 14/03, Lapa;
  • 21/03, M’Boi;
  • 28/03, Pirituba/ Jaragua;
  • 04/04, Ermelino Matarazzo;
  • 18/04, Capela Do Socorro;
  • 25/04, Mooca;
  • 09/05, Perus;
  • 16/05, Cidade Tiradentes;
  • 23/05, Vila Maria;
  • 06/06, Cidade Ademar;
  • 13/06, São Miguel e
  • 20/06, Ipiranga.

Conforme Silvia, “a parceria será realizada com a Secretaria de Relações Sociais da Prefeitura Municipal de São Paulo, Secretaria Municipal do Verde e do Meio Ambiente, Conselhos Regionais de Meio Ambiente, Desenvolvimento Sustentável e Cultura de Paz (CADES), União Geral dos Trabalhadores (UGT), Núcleo Estadual –SP do Movimento Nacional pelos ODS, Sorriso Sustentável Soluções Ambientais Ltda. e outras organizações que quiserem participar do projeto, como apoiadores.”

Abordagem Sorriso Sustentável

A fim de levar a melhor abordagem aos locais de execução, a oficina ‘Acenda esta ideia’ tem propostas diferentes. Por exemplo, nas empresas ela é voltada à integração das equipes de trabalho. Enquanto nas instituições de cunho social é direcionada à elevação da autoestima e ao empoderamento. Já nas comunidades, o intuito é a geração e/ou complementação de renda e também empoderamento.

Atualmente cinco mulheres são atendidas pelo projeto-piloto iniciado na Comunidade Mauro. Ao final da primeira oficina, realizada no dia 10 de dezembro na Comunidade Dedo Verde, -um espaço de vivências colaborativas e aprendizadoscada integrante recebeu um kit que lhes permitirá ter autonomia para a confecção das velas artesanais sustentáveis em sua própria casa.

Participe

Se interessou em fazer parte dessa iniciativa? Entre em contato com a equipe da Sorriso Sustentável e participe dessa ideia, seja como voluntário ou patrocinador. Você pode ainda participar compartilhando essa ideia! Continue acompanhando as nossas atualizações por aqui e nas plataformas digitais, na @apdespbr e /apdespbr! Interaja deixando o seu comentário, sugestão ou dúvida no campo abaixo e diretamente por mensagem nas nossas redes sociais. 🚀

Redação Canal da Prótrese

3comentários