APDESPbr - O CANAL DA PRÓTESE ODONTOLÓGICA BRASILEIRA

Sistema Arch Free Metal é tendência na prótese dentária

Em contrapartida às confecções de base metálica, o sistema arch free metal vem ganhando cada vez mais espaço na prótese dentária. Isso porque é uma opção que oferece praticidade, resistência e estética mais próxima aos dentes naturais. Além de a sua utilização também ser impulsionada pela introdução de equipamentos comandados via sistemas CAD/CAM. Para entender mais sobre essa tendência, iremos descrever as suas características e vantagens. Bem como explicar os atributos que diferenciam este sistema dos demais disponíveis no mercado.

Definição do sistema arch free metal

Os elementos free metal são caracterizados pela substituição do metal em sua estrutura, que é então composta por resistentes materiais alternativos. De acordo com o técnico em prótese dentária Carlos Canova, o “sistema arch free metal consiste em uma barra de fibra de vidro com resina epoxi de alta densidade. O que resulta em uma estrutura leve e de alta resistência.”

Confecção realizada por Canova em arch free metal. Foto: Arquivo pessoal

Ainda segundo ele, a tecnologia livre de metal foi registrada no Brasil, assim mesmo, com a nomenclatura em inglês. Deste modo, o termo ‘arch’ é uma referência ao arco, um dos formatos do material oferecidos para a confecção.

Características e vantagens

Afora a leveza e a alta resistência, o sistema arch free metal apresenta alguns benefícios pela funcionalidade e usabilidade. Canova cita, por exemplo, a dispensa do derretimento e moldagem, exigidos na metalocerâmica. “O sistema tem algumas opções. Oferece tanto a barra em arco pronta para usar de forma convencional. Como os discos e blocos para utilização em sistemas CAD/CAM. Aliás, uma grande vantagem é a isenção de fundição. Bem como possibilitar ao dentista a captura física em boca.” Ou seja, é um material que possibilita tanto a modelagem digital, quanto a manual, clássica.

>> A discussão atualizada sobre as formas clássicas e digitais estão no livro  ‘Clássico e Digital – O elo de equilíbrio entre as especialidades na prótese odontológica’. Adquira já o seu! <<

Desta forma, este sistema atende a diversas demandas clínicas e laboratoriais da prótese odontológica. Canova explica que a sua aplicação é “indicada para a confecção de próteses tipo protocolo, próteses fixas em acrílico ou resina fotopolimerizável. Além de copings de reforço para resina e pinos intra-radiculares.”

Peculiaridades do arch free metal

A versatilidade é eleita por Canova como a característica principal que diferencia o arch free metal dos demais sistemas manipulados na prótese. “Este material é bastante utilizado na Europa, não só pela excelente união química e mecânica. Mas, também, pela união entre a estrutura de fibra e as resinas, seja a acrílica, seja a fotopolimerizável.”

Prótese inferior concluída. Foto: Arquivo pessoal

Por outro lado, as produções de base metálica exigem mais do profissional, em investimento de tempo e capital. “Na verdade, essa técnica acaba por trazer mais rapidez e praticidade. Pois não necessitamos fazer todo o processo de confecção de uma barra metálica convencional. A qual, muitas vezes, tem que ser soldada para uma passividade (aspecto responsável pela longevidade e adaptação) adequada. Sem contar que o processo é mais demorado. Já o sistema sem metal permite confeccionar as barras sem equipamento. O custo para o profissional seria igual ou menor do que produzir uma barra fundida, por exemplo. Uma vez que subtraímos o investimento em maquinário específico”, explica Canova.

Ele trabalha com arch free metal há cerca de um ano e meio. E acredita que o mercado da técnica está em evolução. “Pois, além de mais rápida, ela pode ser desenvolvida sem a necessidade de muitos equipamentos. Assim, até mesmo os laboratórios com pouca estrutura têm possibilidade de executar trabalhos optando pelo arch free metal.”

Curso de arch free metal na APDESPbr

Detalhe de finalização em arch free metal. Foto: Arquivo pessoal

Aliás, quem busca o aperfeiçoamento, poderá aproveitar a oportunidade oferecida pela APDESPbr, que promove o curso de arch free metal. Canova será o ministrante dessa turma e fará uma apresentação teórico-prática.

Na teoria haverá toda a apresentação do material, com os usos, vantagens e indicações. Já na prática, Canova conta que fará a demonstração de um procedimento de acrilização. A mesma que utilizo no meu laboratório, com uma resina Cold Curing (Palaexpress /Kulzer). Onde se faz todo processo de acrilização em, mais ou menos, 25 minutos, sem a necessidade de inclusão com gesso.”

O conteúdo

Porém, os participantes também terão a chance de treinar. Isso porque está incluso no conteúdo que cada um executará:

  • a montagem em uma prótese total,
  • muralha de silicone,
  • posicionamento da barra arch free metal,
  • remontagem adaptando na barra,
  • enceramento e
  • escultura gengival.

Canova esclarece que, entre todos os tópicos abordará, priorizou a execução para o curso. “O mais importante é orientar os colegas sobre a forma correta de trabalhar o arco. Porque sempre precisaremos fazer alguns desgastes para otimizar a montagem. Por isso, o curso consiste em explicar as melhores maneiras de obter este resultado satisfatório.”

A expectativa do ministrante é que essa exposição possa esclarecer as dúvidas e que haja entusiasmo dos alunos. “A gente sempre espera que os colegas venham com vontade e interesse em aprender. Afinal, há sempre muita especulação e desconfiança a cada técnica nova que se lança no mercado. Mas, neste curso, realmente espero poder desmistificar essas dúvidas e ter uma bela troca de experiências com os colegas.”

>> Saiba mais sobre os valores e requisitos para participar do curso ‘Sistema Arch Free Metal para Protocolo’ na APDESPbr <<

Sobre o ministrante

Carlos Canova é técnico em prótese dentária há 17 anos, formado em Canoas – RS. Logo após a formação, abriu o seu laboratório e manteve-se em constante atualização. Fez diversos cursos no Brasil, em várias áreas da prótese odontológica. Canova também acumula experiências internacionais, a partir de 2002. “O meu primeiro curso fora foi na Vita, quando ainda era aluno. Depois fui para a Itália, em 2008, fazer curso de soldagem a laser e fundição de titânio e não parei mais.”

Em seu extenso currículo de aprimoramento passou, de 2011 a 2017, por empresas como Vita, Ivoclar, Bego, Zubler e Yeti, na Alemanha. Esteve na IDS, em 2011, também na Alemanha. Canova é consultor da Bego para a América Latina e, como tal, ministrou treinamento de Prótese Parcial Removível, no México, em 2017. Igualmente presta consultoria para a Vita e DeFama, além de ser colaborador da Wilcos.

Mantém relacionamento de longa data com a APDESPbr, desde a sua primeira participação nos congressos, em 2001, como aluno de prótese dentária. Estreou como palestrante-congressista na edição de 2015. A fim de atender à demanda de formação em metalurgia, deu início como ministrante de cursos na sede da APDESPbr.

Acompanhe!

Fique por dentro de todos cursos que são oferecidos na APDESPbr! Toda a programação de aulas e palestras gratuitas é divulgada através de nosso conteúdo. Tanto aqui no Canal da Prótese, quanto nas plataformas digitais. Não perca nenhum dos acontecimentos do cenário da prótese odontológica! Acompanhe a gente nas nossas redes sociais, estamos no Instagram e Facebook! Deixe também o seu comentário, com sugestões ou dúvidas, preenchendo o formulário abaixo.

Redação Canal da Prótrese

2comentários

    • Olá Helmo, gostamos sempre de compartilhar novidades para que vocês possam conhecer e testar. Ficamos felizes que tenha se interessado!