APDESPbr - O CANAL DA PRÓTESE ODONTOLÓGICA BRASILEIRA

Troquéis – cuidados relevantes ao segmentar e delimitar

Você reconhece o valor de um bom modelo de gesso? E o quanto ele determina o resultado final em um trabalho de prótese dentária? – Qualquer que tenha sido  sua resposta aposto que ainda vai se surpreender com essa experiência! Darlos Soares é técnico em prótese dentária e se destaca em sua carreira pelo exímio trabalho na confecção de modelos de gesso e troquelização. Sua determinação e seu compromisso com a qualidade do trabalho em uma área às vezes negligenciada por tantos já o levou por diversos países e lhe confere uma carreira de sucesso. Hoje também palestrante e diretor técnico do Instituto Murilo Calgaro, revela que a exigência com a perfeição dos modelos o ajudou muito na busca pela excelência. E o fez desenvolver seus próprios métodos de trabalho – o que ele vai compartilhar com você em sua apresentação no EBPO 2018, evento realizado dias 21 e 22 de Setembro, em São Paulo, SP. [Faça a sua inscrição aqui! – últimas vagas]

O que você vai encontrar por lá? – Continue lendo essa matéria! 😉 [mais detalhes a respeito da apresentação de Darlos Soares ao final deste texto]

Sobre modelos de gesso e troquelização

Darlos explica que o modelo de gesso deve ser uma representação fiel da realidade bucal do paciente. Ele servirá como orientador dos trabalhos e mediador da conversa entre técnico e cirurgião dentista – quem prepara o molde que permitirá a confecção dos modelos pelos laboratórios de prótese. Esse modelo orienta todo trabalho de prótese dentária, mas quando se trata de próteses fixas como laminados cerâmicos, lentes de contato dentais ou coroas, por exemplo, sua segmentação é imprescindível. Porque a região onde essas peças serão instaladas precisa ser analisada minuciosamente por quem irá confeccioná-las. Como conseguimos essa precisão? – com a troquelização do modelo.

Troquelizar permite a remoção do elemento do modelo para trabalho em peças individuais com visão 360º e visualização precisa das linhas de término para sua correta demarcação. Posteriormente é possível fazer o encaixe da peça no modelo para testes de adaptação, analisando a harmonia em todo o conjunto. Cada elemento é trabalhado em um troquel, e cada detalhe importa.

Para  se alcançar a precisão com os troquéis é necessária a aplicação de técnicas ideais para sua segmentação e delimitação, deixando a linha de vedamento o mais evidente possível para o próximo passo que é a confecção da peça. >> Esse trabalho você acompanhará ao vivo na apresentação de Darlos, no dia 21/09. [Faça a sua inscrição agora ou veja todos os detalhes sobre o evento aqui]

   Detalhes pequenos – grandes resultados

O tpd se mostra bastante detalhista, fazendo jus ao reconhecimento que tem recebido desde muito novo.

É muito necessário dar atenção a detalhes pequenos. Eu sempre friso isso. Tem gente que me fala: ‘mas Darlos é um detalhe tão pequeno!’ E aí eu lembro que o dente também é pequeno e que a soma de todos os detalhes, em todas as etapas, resulta em uma grande diferença no trabalho final.

Todo o material que a gente trabalha, ou ele expande, ou ele contrai. O silicone que se utiliza para moldar contrai quando reage. Depois a gente verte um gesso ali dentro que expande. Daí a gente duplica com o silicone, ou colocamos cera em cima desse modelo para realizar o trabalho e passamos pela contração, de um ou de outro. E então fazemos uma inclusão no anel, um revestimento, ou um troquel refratário – que expande. Após isso fazemos uma fundição em metal ou uma cerâmica – que contrai. Deste modo, se nós não levarmos em consideração os detalhes muito pequenos a gente perde o controle com todos esses procedimentos. Uma vez que é muito difícil atingir a perfeição com tantas variáveis (contextua Darlos).

Carreira

Valorize sua atividade e destaque-se!

Já entendemos, então, que a confecção dos modelos/troquéis é o primeiro passo para uma trajetória de sucesso. E esse foi o tema de sua primeira palestra aqui, na APDESPbr. Isso porque ele viu uma oportunidade de se destacar em um setor que era negligenciado por muitos, mas que considera o coração de um laboratório de prótese. No início o técnico disse que apenas queria fazer corretamente seu trabalho, sem falhas. Mas não encontrava informações suficientes sobre o assunto. Passou, então, a escrever o passo a passo de sua atividade e a criar seu próprio protocolo. Em poucos meses já estava realizando etapas complexas como a delimitação de troquéis. Trabalhando desde então com Murilo Calgaro, na época no laboratório Studio Dental, era observado constantemente por outros donos de laboratório que frequentavam os cursos ministrados no local. Não demorou muito até ser chamado a demonstrar seu trabalho a outras equipes e aos poucos começou a ensinar.

A exigência do Murilo Calgaro foi algo essencial para o meu crescimento. Eu trabalhei com ele por dez anos logo no início da minha carreira. Ele é extremamente exigente, até hoje, e isso me ajudou muito. Porque não existia estagnação, acomodação. Eu estava sempre querendo buscar a excelência no meu trabalho.

Em determinado momento o Murilo me chamou e falou: ‘Darlos você precisa documentar e fotografar o que você está fazendo pra começar a  compartilhar isso com as pessoas.’ Me ensinou a fotografar e me deu oportunidade de falar nos cursos dele e a partir desse momento eu comecei a ministrar cursos em seu laboratório. Em 2008 foi a minha primeira turma e de lá pra cá eu não parei mais. Dois anos depois eu fui ministrar dois cursos na Venezuela, com apenas 23 anos de idade. Logo depois fui convidado a dar um curso prático na APDESPbr, que foi um sucesso de público, com fila de inscrição. Com tamanho sucesso o convite se estendeu também à minha primeira palestra ministrada no Congresso Internacional (evento também organizado pela entidade).

Isso pra mim foi uma realização gigantesca. Alguns anos antes eu comecei a frequentar o Congresso Internacional e admirava demais aqueles profissionais, os grandes nomes presentes ali, e aquela estrutura toda. Pouco tempo depois eu estava em cima do palco, transmitindo minha experiência para aqueles congressistas. Foi um momento muito especial pra mim. E foi também uma projeção muito grande na minha carreira.

Passei então a dar alguns treinamentos com a Caltini – quando a Caltini chegou com a AmannGirrbach no Brasil, em 2010. Com um sistema de troquelização chamado Giroform, quem comprava esse sistema ganhava um treinamento comigo. E nessa época eu passei a viajar cada vez mais realizando treinamentos. E hoje eu conheço todas as regiões do Brasil e América Latina as quais eu visitei para transmitir meus conhecimentos na área do gesso e troquelização. E, principalmente, para fomentar a valorização desses profissionais e desse setor. Então eu faço questão de reconhecer sempre a minha gratidão a APDESPbr, porque essa experiência me abriu muitas portas. Assim como a experiência no Instituto Murilo Calgaro. – Darlos também fez questão de citar o colega Will Rojas, quem contribuiu com sua formação inicial através da técnica desenvolvida que foi utilizada pelo tpd por alguns anos.

Percebe-se que o sentimento de gratidão e de humildade de fato faz parte do caminho que leva ao sucesso!

   Desafio e oportunidade

O setor de gesso é vital, afirma. Como o coração, ele bombeia os trabalhos para todos os outros setores. Qualquer problema ali é grave. E é de extrema importância que esse profissional tenha consciência do poder que esse trabalho tem de levar o laboratório para cima ou para baixo. Infelizmente ainda é difícil encontrar pessoas interessadas nessa área, porque nem sempre ela recebe a devida valorização. Por todos. Por quem faz, por quem não investe: em treinamento, literatura, material, equipamentos. Enfim, é todo um conjunto que ainda precisa entender a importância dessa atividade. O que se vê ainda é uma rotatividade muito grande, o que impede que se tenha a dedicação necessária para se alcançar a qualidade que desejamos e que o mercado necessita.

E por citar o mercado, vemos o avanço da tecnologia digital e o uso cada vez mais frequente de modelos digitais. Isso é uma realidade, mas há ainda muito trabalho a ser realizado na precisão de modelos e troquéis para mantermos a excelência da prótese dentária no Brasil, segundo Darlos Soares. Um desafio que pode se tornar uma boa oportunidade, a seu exemplo. – Se é o que você procura, não perca essa apresentação! Tenho certeza que sairá com ainda mais do que foi buscar. Darlos é generoso, compartilha com facilidade o que sabe, e já deve ter percebido que fará isso com todos os detalhes que você precisa  saber se deseja trabalhar ou evoluir nessa área. Então, inspire-se nessa história e aproveite essa oportunidade! 😉

Veja abaixo mais detalhes desta apresentação.

A apresentação no EBPO 2018 

Tema: Cuidados relevantes ao segmentar e delimitar troqueis

Quando e onde: 21/09 | 13h30 às 14h30 | Sala 02 – no Centro de Convenções Frei Caneca – São Paulo, SP.

Faça sua inscrição aqui! (últimas vagas!)

Sobre o conteúdo abordado, veja abaixo alguns pontos em destaque:

  • As diferentes possibilidades para segmentar os troqueis – arco e serra, disco de corte diamantado com caneta de micromotor, máquina de corte com auxílio de laser guia
  • Quando realizar cortes paralelos e quando realizar cortes inclinados
  • Objetivo e função da delimitação
  • Diferentes estilos de delimitação de troqueis
  • Diferentes formatos de brocas para delimitação gerando diferentes resultados
  • O que fazer quando a linha de término não está visível

Você encontra na exposição comercial

Para quem procura equipamentos nesse setor, a InovaPro é uma marca que levará seu lançamento para o EBPO 2018 – uma seccionadora de troquéis. Darlos afirma que o produto ficou bastante preciso e que compartilhou algumas dicas com a empresa para que essa máquina estivesse compatível com as necessidades que um profissional encontra nessa atividade em específico. Se quiser conhecer, visite a InovaPro na Exposição Comercial que ocorrerá juntamente ao evento, das 8 às 20hs.

Te esperamos para o maior Encontro Brasileiro de Prótese Odontológica – EBPO 2018. Serão 21 apresentações em formato workshop e 35 marcas na exposição comercial. Esteja entre os melhores!

 

Até!

Maria Fernanda Marques

Gestora de marketing da marca APDESPbr digital. Especialista em branding, comunicação humanizada e planejamento estratégico. Acima de tudo, apaixonada por gente! E motivada pelas relações humanas e as boas histórias que delas resultam, sobre pessoas e marcas.

Deixar um comentário

1
Olá! Como podemos te ajudar?
Powered by